Natureza agradece o fechamento do lixão da Estrutural

Pau-de-balsa 
 Por André Falcão
 21/01/2017

  A questão do lixo diz respeito a todos nós consumidores. Desde as sacolas plásticas dos supermercados até as embalagens dos produtos industrializados. 
  Estudos publicados pela Universidade Católica de Brasília sugerem que aconteça a devolução da embalagem após os consumidores utilizarem os produtos. Uma das iniciativas citadas é a campanha da coca-cola que trocava tampinhas por miniaturas da marca para coleções. 

  Já a Universidade de Brasília (UnB), no Seminário Internacional sobre Sustentabilidade que aconteceu recentemente, foi debatida a opção da queima total dos resíduos sólidos por uma empresa da China, presente no evento.
     No DF, por muito tempo, a Cidade  Estrutural  recebeu todo o lixo produzido em Brasília e suas regiões administrativas, o que ocasionou o surgimento dos catadores de lixo. 
  Agora o lixão da Estrutural está interditado e Samambaia-DF começa a receber o lixo do DF, numa solução que utiliza a técnica do aterro sanitário. 
      A coleta seletiva que acontece no DF ajuda o meio ambiente e iniciativas iguais ao papa-entulho também funcionam como fatores que contribuem para a melhoria da qualidade de vida da população. 
       A China é o maior importador de lixo reciclável do mundo, mas recente foi divulgada a intenção do país de não ser mais o lixão do planeta Terra.
        A reciclagem é a solução e para tanto é necessária a coleta seletiva e a população separar o lixo seco do lixo molhado, desta forma diminui a quantidade de resíduos sólidos depositados no aterro sanitário e aumenta a quantidade de reciclados. 
  

Comentários