Cultivo do conhecimento na UnB gera frutos em Ceilândia-DF

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé e área interna
Douglas e Daniel Pereira da Silva

Cultivo do conhecimento da UnB gera frutos em Ceilândia-DF, conversamos com Daniel sobre a importância da extensão. Acompanhe:

Blog – Você é estudante da UnB, correto?

Daniel – Sim, eu sou acadêmico de enfermagem do 4° Semestre da Universidade de Brasília (UnB) do campus de Ceilândia-DF.

Blog – Nós estamos no Centro de Saúde N° 09 do Setor P.Sul em Ceilândia-DF e você realizou uma palestra, é uma extensão da UnB?

Daniel – Sim, o nome do projeto é Projeto de Extensão – Práticas Voltadas para os Idosos, no Centro de Saúde N° 09 de Ceilândia-DF e a gente tem como coordenadora do projeto de extensão, a professora Janaíne Meirelles, discente da UnB. O projeto acontece uma vez por mês, na última quinta-feira do mês trazendo à tona projetos com temas voltados para os idosos e são eles que escolhem o tema que querem escutar, por exemplo, o tema de hoje que foi a era digital na terceira idade foram eles que escolheram este tema no início do ano. Todo ano a gente tem uma atividade também comunitária, um passeio que a gente faz, e uma das reuniões não é aqui dentro.

Blog – É um projeto de extensão?

Daniel – É sim um projeto de extensão, eu sou aluno bolsista da CNPq, de extensão, e o projeto é todo regularizado, a gente pode utilizar aqui no Posto de Saúde e é tudo certinho de acordo com a CNPq.

Blog – Na sua opinião, qual é a importância do conhecimento produzido na UnB chegar até à população?

Daniel – Hoje eu palestrei, mas nas outras atividades a professora Janaíne é que ministra e a gente auxilia ela. Os conhecimentos que a gente adquiri na universidade são bem diferentes dos que estão aqui, como é um projeto de extensão a gente busca aprender diferentes temas que estejam além do que a universidade ensina e os assuntos que a gente aprende aqui a gente pesquisa por fora justamente por que é uma complementação da universidade, é uma atividade que a gente faz por fora. Tem projetos de extensão com catadores de lixos, tem projeto de extensão dentro dos hospitais com crianças com câncer, temos vários projetos dentro da universidade. Os projetos de extensão em si eles auxiliam o aluno para quando a gente se formar, uma das diferenças na Universidade de Brasília é que diferente de outras universidades a gente tem pesquisa científica, iniciação científica, projetos de extensão, e para a gente se formar não é só concluir a universidade, a gente tem que ter horas de pesquisa e acaba que se forma de maneira mais completa e humanizada para que o profissional de saúde ou qualquer profissional seja mais preparado para atuar em qualquer mercado de trabalho e também ficar preparado para lidar com diversas situações que já passou dentro da universidade e por vários lugares além da universidade.

Blog – Quando a gente vem para ensinar alguma coisa, a gente aprende também?


Daniel – Sim, por exemplo o tema de hoje, a gente ver a necessidade de as perguntas dos idosos, a falta de paciência do público mais jovem com eles para poder ensinar e é uma necessidade que eles tem, então a gente acaba adquirindo também paciência, adquirindo mais senso de humanização e de sociabilidade também para poder auxiliar os idosos.

Mais informações: daniel_5172012@hotmail.com

Comentários