Uso da biotecnologia no combate ao Aedes aegypt será debatido em audiência nesta terça(25)


Deputados - Adail Carneiro
                                                  Adail Carneiro: debate com especialistas ajudará trabalhos da comissão

A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados promove nesta terça-feira (25) audiência pública para debater o uso de biotecnologia no combate ao mosquito Aedes aegypt.

O debate contará com a presença de representantes do Ministério da Saúde, da Fundação Oswaldo Cruz e de duas empresas de biotecnologia que produzem, em parceria, mosquitos geneticamente modificados na cidade de Juazeiro (BA): a Oxitec e a Moscamed.

Projetos em teste

O Aedes aegypt é o transmissor dos vírus que provocam a febre amarela, a dengue e a febre chikungunya, além do zika vírus, apontado como responsável por casos de microcefalia em recém-nascidos.

Nos últimos anos, dois projetos de biotecnologia têm sido testados no Brasil com o objetivo de acabar com o mosquito ou, pelo menos, torná-lo inofensivo. Um deles busca impedir que o mosquito transmita doenças por meio da contaminação do inseto com uma bactéria.

O outro tenta exterminar o Aedes aegypti usando mosquitos machos geneticamente modificados. Esses mosquitos não picam e não transmitem doenças, mas transferem para os filhotes um gene mortal.

Especialistas

Autor do requerimento para a realização da audiência, o deputado Adail Carneiro (PP-CE) explica que em razão dos número crescente de casos de dengue, febre chikungunya e microcefalia, “é necessário convidarmos órgãos que tenham a competência para ajudar a esclarecer à população o que nós pretendemos fazer".

Os mosquitos geneticamente modificados já foram testados nos municípios de Piracicaba (SP) e Jacobina (BA). Os primeiros resultados, segundo as empresas responsáveis, são promissores, mas ainda não conclusivos.

Já os testes em mosquitos contaminados com bactéria são feitos pela Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, em parceria com uma universidade australiana. Nesse caso, o objetivo não é exterminar o Aedes, mas fazer com que ele não transmita doenças.

Convidados

Foram convidados para o debate a tecnologista da Coordenação Geral do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Tatiana Mingote Ázara; a representante da Project Manager - Fundação Oswaldo Cruz, Flavia Roque Varandas Teixeira; o presidente da Biofábrica Moscamed Brasil, Jair Fernandes Virginio; e o gerente de Negócios da Oxitec do Brasil Tecnologia de Insetos Ltda, Cláudio Fernandes.

A reunião está marcada para as 9h30, no plenário 7

Fonte do conteúdo: Agência Câmara