Saúde Pública - Campanha de vacinação contra a raiva nas áreas urbana e rural no Distrito Federal.




Vacinação contra raiva quer imunizar 271 mil cães e gatos no DF

Campanha foi dividida em três etapas nas áreas rural e urbana

BRASÍLIA (17 /8/16) – Começa, nesta semana, a campanha de vacinação contra a raiva nas áreas urbana e rural no Distrito Federal. A meta é imunizar 271,4 mil cães e gatos, o que corresponde a 80% da população destes animais no DF.

A vacinação foi dividida em três etapas. A primeira, na área rural, será em 27 de agosto, em 200 postos distribuídos em 17 localidades. Na área urbana, as vacinas serão aplicadas nos dias 10 e 17 de setembro, em 1.640 postos de vacinação, instalados, em sua maioria, em frente a centros de saúde.

"O único caso de raiva humana no DF ocorreu em 1978. E em cães e gatos, nos anos 2000 e 2001, respectivamente. Mas o fato de estar controlado não significa que os donos destes animais não precisem leva-los para vacinar. Pelo contrário, é extremamente necessário que levem, para mantermos sem a doença, que tem 100% de letalidade", frisa o veterinário da Vigilância Ambiental em Saúde, Laurício Monteiro.

ESTRATÉGIA – Cerca de 6 mil profissionais atuarão durante a campanha de vacinação, entre servidores da Secretaria de Saúde, Emater, Funasa, militares e universidades com curso de veterinária.

As 271 mil doses da vacina foram enviadas pelo Ministério da Saúde e o Governo de Brasília investiu em seringas e agulhas suficientes para cobrir os 80% do público alvo.

Podem ser imunizados cães e gatos a partir de três meses de vida que estejam saudáveis, inclusive as que estiverem prenhas e aqueles animais que acabaram de ter filhotes. A Gerência de Vigilância Ambiental de Zoonoses recomenda que os cães sejam levados com coleira e aqueles mais agressivos, de focinheira. Já os gatos, se possível, serem levados dentro de uma caixa.

DOENÇA – A raiva pode ser transmitida para o homem pela introdução do vírus presente na saliva e secreções do animal infectado, principalmente por meio de mordida. A doença tem 100% de letalidade. "Existem apenas seis casos de cura da raiva no mundo", destaca Laurício Monteiro.

Os cães, gatos e os mamíferos silvestres, como morcegos e raposas, são considerados os animais de alto risco para transmissão do vírus da raiva humana.

Veja os locais que vão receber vacina