I Seminário de Saúde Prisional do Distrito Federal


Simpósio vai discutir a saúde prisional no DF

Objetivo é aperfeiçoar os modelos de ação institucional nos processos de acolhimento, acompanhamento e saída durante o cumprimento da pena.

BRASÍLIA (17/06/16) - Brasília, pioneira e referência em todo o Brasil na prestação de assistência às pessoas privadas de liberdade com equipes multiprofissionais do SUS, está se preparando para dar mais um importante passo na evolução do atendimento à população carcerária local. Com a instalação do I Seminário de Saúde Prisional do Distrito Federal, programado para os dias 20 e 21 de junho, serão estabelecidos novos parâmetros ao modelo de ação institucional e nos processos de acolhimento, acompanhamento e saída durante o período de cumprimento das penalidades.

"Pretendemos atualizar os termos da portaria que define o relacionamento institucional entre as Secretaria de Saúde e de Segurança do Distrito Federal para aperfeiçoar essa já bem sucedida atuação conjunta e melhorar o nível de eficiência não apenas na atenção à saúde, mas na implantação de projetos que apoiem a ressocialização dessas pessoas, como o da Farmácia Viva, onde são cultivadas plantas medicinais, posteriormente processadas para distribuição na rede pública", diz a gerente de saúde no Sistema Prisional, Simone Kátia de Souza.

Apesar dos problemas comuns ao sistema carcerário nacional, como a lotação acima da capacidade instalada – atualmente 15.062 detentos para 7.229 vagas – o Distrito Federal tem servido de modelo para o restante do país. "Ainda que haja um longo caminho a percorrer no aperfeiçoamento da atenção à saúde, prestamos atendimento com 115 profissionais qualificados, entre médicos, enfermeiros, técnicos, de enfermagem, psicólogos, psiquiatras, farmacêuticos, fisioterapeutas e dentistas, entre outros, corpo técnico que supera as exigências da legislação atual", compara Simone de Souza.

Outro avanço verificado na atenção à saúde no sistema prisional do DF foi a instalação de alas de segurança em unidades da rede, como o Hospital de Base, Hospital Regional da Asa Norte e Hospital do Paranoá, com enfermarias adaptadas para pessoas privadas de liberdade. "Esse investimento, na realidade, resultou em economia, pois os detentos ficam reunidos em uma só enfermaria, reduzindo a necessidade de efetivo de vigilância em diversos locais do hospital", compara a gerente.

O I Seminário de Saúde Prisional do Distrito Federal terá a conferência de abertura ministrada pelo ministro do STF Gilmar Mendes e abordará não somente temas como a saúde no sistema prisional, mas trabalho, ensino e as experiências de êxito como o projeto Farmácia Viva, que demonstram ser possível desenvolver políticas capazes de dar uma ocupação digna e promover a reabilitação da população carcerária.
SERVIÇO
I Seminário de Saúde Prisional do Distrito Federal
Local: Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências de Saúde – Fepecs
Data: 20 a 21 de junho
Inscrições até 16 de junho em seminarioprisional.saude.df.gov.br