Festa Junina // O evento acontecerá no Campus Taguatinga Sul da Universidade Católica de Brasília - DF no dia 11 de junho de 2016



10/06/2016

Grandes eventos celebram Dia Mundial do Refugiado em capitais brasileiras


Para aprofundar o conhecimento sobre a realidade dos refugiados e as razões que levam uma pessoa a abandonar sua casa forçadamente, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e seus parceiros organizam diferentes eventos gratuitos em várias capitais do país para marcar o Dia Mundial do Refugiado, celebrado mundialmente em 20 de junho. Veja aqui a programação.
Em todo o mundo, cerca de 60 milhões de pessoas encontram-se fora dos seus locais de origem por causa de guerras, conflitos e perseguições. Deste total, mais de 20 milhões são refugiados — cruzaram uma fronteira internacional em busca de proteção.Para aprofundar o conhecimento sobre a realidade dos refugiados e as razões que levam uma pessoa a abandonar sua casa forçadamente, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e seus parceiros organizam diferentes eventos gratuitos em várias capitais do país para marcar o Dia Mundial do Refugiado, celebrado mundialmente em 20 de junho.

Veja abaixo a programação:

No sábado (11), em Brasília (DF), uma festa junina será celebrada com a participação de refugiados e migrantes estrangeiros que vivem na capital do país. O evento acontecerá no Campus Taguatinga Sul da Universidade Católica de Brasília, (QS07, EPCT), a partir das 14h30, sob a realização do Instituto de Migrações e Direitos Humanos (IMDH).
Na próxima segunda-feira (13), será lançada em Curitiba (PR) uma exposição fotográfica itinerante sobre a temática do refúgio e da migração. Realizada pelo Instituto de Reintegração do Refugiado (ADUS), a exposição “Entre Mundos” será inaugurada no terminal rodoviário de Curitiba às 19h00 e percorrerá os principais terminais de ônibus da capital paranaense. A mostra reúne seis fotógrafos, sendo dois sírios, e apresentará diferentes olhares sobre a crise atual dos refugiados por meio de 30 imagens.
Na quinta-feira (16), no Rio de Janeiro, o ACNUR, a Caritas Arquidiocesana do Rio de Janeiro e o Museu do Amanhã promovem o seminário “Vozes do Refúgio: Dados Globais, Olhares Locais”. A partir das 14h00, mesas de debates abordarão o tema do seminário sob diferentes perspectivas, com a participação de especialistas, de refugiados e da coordenação geral Comitê Nacional para Refugiados (CONARE). Os refugiados participantes apresentarão seu olhar sobre integração no Brasil, diversidade racial e cultural, perspectivas de gênero e infância, trabalho e acesso aos estudos. A inscrição gratuita poderá ser feita pelo site do Museu do Amanhã (clique aqui).
No sábado (18), o ACNUR, o SESC São Paulo e o Festival do Minuto realizam a cerimônia de premiação dos vídeos vencedores do Festival do Minuto Refugiados 2016, no Sesc Vila Mariana (Rua Pelotas, 141), a partir das 14h00. Mais de 140 vídeos foram inscritos no festival, e uma seleção dos melhores será exibida no evento. Além da premiação, acontecerá a apresentação do Coral infantil Coração Jolie, formado por crianças refugiadas que vivem no Brasil, sob a coordenação da ONG brasileira IKMR (I Know My Rights — Eu Conheço Meus Direitos).
No domingo (19), acontecerá em Brasília (DF) o projeto Cine MigrArte, no Cine Brasília (EQS 106/107, Asa Sul), a partir das 15h00. Cinema, música, artes visuais e gastronomia estarão juntos para promover a diversidade cultural que é trazida pelos refugiados e imigrantes ao contexto brasileiro. Integram a programação um debate sobre tabus acerca do refúgio e também intervenções artísticas, sob a realização conjunta do ACNUR com o Coletivo REgeneration e a produtora Hiperespaço. Uma seleção dos vídeos do Festival do Minuto Refugiados 2016 também será exibida em Brasília, assim como o lançamento do documentário “A Linguagem do Coração”.
Ainda no dia 19, no Parque Farroupilha, em Porto Alegre (RS), a Associação António Vieira (ASAV) promove a abertura da Semana do Refugiado na capital gaúcha. Será montada uma tenda com fotos, publicações e a presença de profissionais e pesquisadores da temática do refúgio, além de refugiados e imigrantes, para realizarem rodas de conversa com os interessados. Ao longo do dia, também haverá atividades culturais promovidas pelos refugiados e serão ofertados serviços para esta população, como assessoria jurídica e informações para acesso ao mercado de trabalho.
A programação se encerra no próprio Dia Mundial do Refugiado (20 de junho), com a inauguração da exposição fotográfica “Vidas Refugiadas” no Museu Nacional da República, em Brasília (DF). As fotos retratam o cotidiano de oito mulheres de diferentes nacionalidades que vivem no Brasil, chamando a atenção para a perspectiva de gênero dentro da temática do refúgio. A abertura oficial será às 19h00 com debate junto ao público presente.
Em todo o mundo, o Dia Mundial do Refugiado é uma oportunidade para celebrar a força, a coragem e a perseverança das pessoas que foram forçadas a deixar suas casas e seus países por causa de guerras, perseguições e violações de direitos humanos.
No Brasil, segundo dados do CONARE, vivem 8.863 estrangeiros registrados como refugiados — originários de 79 diferentes nacionalidades. Em 2015, o país contabilizava 25 mil solicitações de refúgio pendentes de julgamento. A maioria dos solicitantes de refúgio vem da África, Ásia (inclusive Oriente Médio) e do Caribe.
Outros eventos — Além dos eventos listados acima, outras atividades fazem parte da celebração do Dia Mundial do Refugiado no Brasil.
Dia 18/06 — No sábado de manhã, a partir das 10h00, uma feira de alimentação e artesanato na Praça Mauá, em frente ao Museu do Amanhã, reunirá refugiados e moradores da região portuária que fazem parte do grupo Sabores do Porto e Artesanato do Porto. Além da integração entre moradores e refugiados, a feira permitirá também aos visitantes conhecer e degustar a diversidade cultural que este encontro promoverá.